COVID-19 – Soluções para combater a pandemia e retomar a economia no Brasil: Uma visão Médica

A crise sanitária alcançou o país em um momento delicado. A economia vinha dando sinais de fraqueza, e a doença se somou à incerteza política com relação ao futuro do governo Jair Bolsonaro. A pandemia também escancarou a elevada desigualdade social no país e abriu um debate sobre o papel do Estado na economia e na condução das políticas sociais.

O Sistema de Saúde público brasileiro é referência internacional. Não há exemplo no mundo que preveja acesso universal, como no país. Com dimensão continental, o Brasil tem a saúde como direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos. Em razão disso, nossa responsabilidade para com nossos cidadãos é ainda maior em tempos de pandemia. Como planejar e executar essas agendas nesse momento em que o mundo foi surpreendido por uma crise sanitária e estamos claramente sem liderança global para nos indicar caminhos seguros a seguir?

Coronavírus

“A crise na economia provocada pela pandemia do coronavírus exigiu que o governo federal mudasse sua política fiscal e gastasse mais para socorrer os que foram mais afetados. As contas públicas, que estão no vermelho desde 2014, podem fechar o ano com um rombo de R$ 877,8 bilhões apenas no governo central, de acordo com cálculos da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão ligado ao Senado Federal. Essa é a expectativa para o déficit primário, resultado das contas não financeiras, e por isso não inclui o pagamento de juros da dívida pública.”

image holder

image holder

A oncologista e imunologista Nise Yamaguchi tem defendido desde o início da pandemia que a hidroxicloquina deva ser utilizada no tratamento da covid-19. Para a médica, o remédio, desde que prescrito por médicos, pode usado com segurança em pacientes sem doenças pré-existentes. A oncologista acredita que, passada a pandemia, a ciência terá “muitas respostas” mas agora é importante “diminuir os preconceitos” contra alguns remédios. Ela se mostrou otimista com estudos que estão sendo feitos com outras drogas, inclusive os antivirais.

top